segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Capitulo 39 - Então eu amo você. ♥

Divulgação!!! 

Eu adr essa fic e é realmente legal. Passem lá, comentem, sigam =]

  Natty: on
  Olhei para baixo e vi o Mustang do Nick. Na hora eu duvidei que fosse o que eu realmente via, mas o avistei em cima do carro.
  Quando ele me avistou, sorriu e desceu do capô, depois subiu de novamente, com o violão.
  - Você é doido? - perguntei gritando, mas queria que soasse baixo, afinal, não sabia se ele me escutaria quatro andares abaixo.
  - Por você? Sou. - ele me respondeu. Nick colocou a alça do violão em volta do corpo e cantou "Please Be Mine". Achei uma gracinha ele cantar ''de novo'' quando a frase "seja minha'' terminava.
  A música tocava baixinho para mim, mas já era o bastante para meu coração acelerar muito.
  - O que você acha? - ele me perguntou. Eu não queria ficar gritando no meio da rua, então entrei no meu apartamento tremendo. Mandei uma mensagem para ele dizendo que eu estava descendo, e de fato estava. Sabia que o elevador podia ser da velocidade da luz?
  Sai do prédio andando depressa. Falei para o porteiro abrir o portão e então Nick entrou correndo e me abraçou forte. Eu beijei seu pescoço.
  - Me desculpe! - ele sussurrava no meu ouvido - Desculpa, eu fui um idiota! - Eu me afastei para olhá-lo nos olhos.
  - Você já está desculpado. - disse-lhe - Senti sua falta - eu o abracei forte sentindo seu gostoso perfume. Meu coração batia muito rápido.
  Nos separamos e eu o trouxe para os corredores do Térreo, para termos mais privacidade.
  - Eu nunca deveria ter duvidado de você - ele me disse - Só eu sei o quanto estou sentindo sua falta. Pode perguntar. Eu não ando conversando muito, só toco sem sair nada, fico só pensando em você... Me desculpa - Nick falava muito depressa - E você e o Sean juntos estavam me deixando louco...
  Segurei seu rosto e o trouxe para mais perto, ele havia parado de falar.
  - Então deu certo. - disse e ele me olhou confuso. - Fiz tudo o que fiz foi para te deixar com ciúmes. - ele sorriu de leve aliviado.
  - Então não te perdi?
  - Não! Claro que não! - respondi sorrindo. - Mas mais um pouco iria, mas você acordou a tempo.
  - Você gosta dele? - ele me perguntou se afastando de mim visivelmente abalado.
  - Vou abrir o jogo, Nick, pois não escondo, ou não escondia nada de você e não vou esconder agora. - respondi - Nós ficamos hoje de manhã e outro dia ele me beijou de surpresa (eu dei um tapa nele, mas ok). - Nick ficou nervoso - Mas tudo, tudo mesmo, o que aconteceu me mostrou que ele é só meu amigo. Gosto dele como um grande amigo, mas quem eu amo e sempre amei muito é você. Eu preciso de você - eu disse bem perto do rosto dele, eu sentia a sua respiração e o prensei na parede. - Eu juro que me arrependo pelo que fiz.
  Não esperei ele falar e o beijei. Senti o corpo tenso relaxar até que ele retribuiu o meu beijo. Ele estava bem feroz e me fez ficar prensionada na parede, ao invés dele. Sentia os lábios quentes dele passarem por todo o meu rosto e pescoço. Nick beijou da clavícula até a nuca e depois voltou para minha boca. Era tudo muito intenso, como era antes. Meu coração estava muito acelerado e minha cabeça dava voltas e mais voltas. Tudo estava perfeitamente do jeito que eu queria.
  Sentia as mãos deles subirem e descerem pelas minhas costas e braços. Cravei meus braços em volta do seu pescoço e sentia calor.
  - Nick, - eu o chamei entre beijos - precisamos parar. - disse quando coloquei minha cabeça no lugar.
  - Por quê? - ele perguntou beijando minha orelha.
  - Já está tarde e amanhã eu preciso acordar cedo.
  - Ah. - ele subitamente parou.
  Nós sorrimos e nos abraçamos. Eu não parava de sorrir e beijava seu ombro.
  -  Quero ter você assim nos meus braços sempre. - Nick disse. Eu respondi que sim com a cabeça. - Já disse que te amo?
  - Não nesse um mês. - respondi sorrindo. Ele se afastou e olhou nos meus olhos
  - Então eu te amo.
  - Também te amo. - respondi sorrindo - E muito.
  - Agora é a parte que eu vou embora, não é? - ele brincou olhando para baixo.
  - Infelizmente. - falei.
  - Ok. Amanhã eu te vejo. - ele falou. - Sem falta.
  - Tudo bem. - respondi com um sorriso enorme lembrando que seria mesmo desse jeito.
  - Última pergunta. - ele começou. - Que roupa é essa?
  Só quando ele perguntou eu percebi que estava de pijamas. Eu provavelmente corei.
  - Ninguém mandou você vir essa hora. - respondi rindo. Abri meu hobbie mostrando meu pijama de frio. - É da Minnie.
  Ele deu uma gargalhada gostosa e finalmente disse.
  - Eu gostei. - e piscou pra mim. - Mas agora, eu vou indo. - ele sorriu fazendo seus olhos ficarem bem pequenos. - Minha Natalie, certo? - nesse momento ele abraçou minha cintura.
  - Só sua. - sorri mais para mim mesma do que para ele, afinal, gostava desse som. Só dele. Isso ecoou na minha mente várias vezes. - Adeus. - eu o beijei e o acompanhei até o portão.
  Subi correndo as escadas do prédio com o coração e a adrenalina a mil.
  Tomei um chá para dormir logo. Estava ansiosa para o próximo dia, pois no próximo dia, veria, sentiria, conversaria, abraçaria e beijaria Nick.
  Natty: off
  Emi: on
  Tudo o que eu queria eu tive ontem. Joe ao meu lado, olhando as estrelas e dizendo que me amava. Eu não entendo como eu podia querer ficar com alguém tanto quanto eu queria ficar com ele. Toda vez que ele me beijava algo fluía no meu corpo e eu o desejava mais e mais.
  Bem, eu acordei do meu sonho perfeito. Natty estava mexendo no meu guarda-roupa.
  - O que você esta fazendo? 
  - Procurando uma roupa - ela disse. - Dã.
  - Eu sei disso. - respondi. - Mas por quê?
  - Por que eu não tenho mais roupas e hoje eu vou sair. - fiquei confusa. Natty tinha muita, mas muita roupa mesmo, apesar disso não falei nada porque vivia pegando roupas dela, mas ela disse que não tem roupa? Natty me olhou com um brilho nos olhos. - Adivinha o que aconteceu. 
  - Você vai sair com o Sean. - como estava com sonho, essa foi a primeira coisa que passou pela minha cabeça.
  - Errou. - ela respondeu sorrindo - Nick e eu vamos sair.
  Olhei para ela com uma expressão ''Fala sério!" e ela deu uns pulinhos que eu realmente ignorei.
  - É! - ela me disse - Ontem ele veio aqui... - ela me contou o que Nick fez e eu achei imprecionante. Senti feliz pelos dois. Tudo ia voltar ao normal. Até que enfim! - ... Agora, eu tenho que ir. Vou a uma sessão de fotos para uma campanha publicitária.
  - Tudo bem. - sorri e Natty saiu do quarto com uma blusa com uma menina.
  Tive que me levantar para ir a aula de pilates. ''Manter a forma é difícil.'' pensei comigo mesma.
  Chegando da academia, vi que tinha um recado na secretária eletrônica, então, a liguei.
  '' Oi Emi, aqui é a Sel falando. O que você acha de irmos dar uma volta e comer alguma coisa hoje? Depois a gente podia fazer umas compras, se você quiser, claro. Me liga de volta! Estou ansiosa para ver você. Beijinhos.'' 
  Sem pensar duas vezes, liguei para ela. A gente conversou no telefone durante uma hora, tanto que, quando Natty chegou, nós ainda estávamos no telefone. Ela ficou emburrada quando soube que era Selena.
  Selena era legal. Eu falava com ela como se ela fosse uma amiga de infância. Conversamos sobre tudo.
  Quando desliguei o telefone e fui tomar banho. Antes disso, Natty brincou que eu estava a trocando. Eu comecei a rir e ela também
  Emi: off
  Nick: on
  Eu estava ansioso para encontrar Natty de novo. Sentia muita saudade dela, saudade de abraçá-la, sentir seu cheiro. Tudo nela me deixava doido, me fazia querê-la mais, me excitava. Eu queria que ela sempre estivesse comigo, mas tudo iria acabar rápido, muito rápido. Apaixonar por ela foi, com certeza, a melhor coisa que já me aconteceu, não havia palavras para descrever o que eu sinto por ela.
  Era pensando nisso que estava escrevendo uma música. Bem, a música não era exatamente sobre o quanto eu a amava, mas era sobre ela e a situação que nós passamos. 
  "She's seductive, she does it well, she'll charge you by the hour or a straight down the hell" foi uma  parte do que eu escrevi para uma estrofe. Era o que eu fiz depois do refrão, que ficou: ''See all those familar faces crowded in my mind, i know that now is not the time, run around, with someone else satisfy yourself, but don't fool me don't you let it be a state of emergency'' Precisava de mais coisa, mas eu trabalharia em cima disso. Não sabia se a colocaria em um álbum, mas a música era boa e vinha do meu coração. 
  O relógio bateu oito horas e então eu sai para buscar Natty. Estacionei o carro em frente ao prédio dela e mandei uma mensagem dizendo que a esperava  e ela me mandou outro pedindo para eu subir lá. Era tão bom entrar naquele apartamento de novo. Lembranças boas vieram na minha mente e eu sorri para mim mesmo.
  Ao me ver, Natty veio correndo e pulou no meu colo me beijado, me beijando muito. E sabor do doce hálito dela me deixava louco por mais. Aprofundei o beijo, chegando até a ter que segurá-la nas costas. O beijo esquentou e nós precisávamos de ar, mas não parávamos. Isso me fez ficar em um estado de êxtase, me fazendo querer mais. 
  Ela afastou os lábios dos meus, beijando minhas bochechas e passando seu rosto no meu até meus ouvidos. Minha pele queimava. Natty passava os dedos no meu cabelo. Tudo de um jeito suave, delicado e calmo. Típico dela.
  - Eu te amo. - ela sussurrou em meus ouvidos. Nossos olhos estavam fechados. - Te amo mais que tudo. - ela encostou sua testa na minha e eu senti sua respiração irregular.
  - Eu te amo muito - respondi beijando seu pescoço. - Nunca duvide disso. - senti um sorriso surgir no rosto dela e ela desceu do meu colo.
  Natty colocou suas mãos em meu rosto e olhou fundo nos meus olhos e disse em uma voz suave:
  - Desculpa se algum dia eu duvidei. - nesse momento eu tive que me controlar um impulso que surgiu dentro de mim, pois nunca tinha visto olhos da cor de mel tão sinceros.
  Beijei sua testa e a abracei tão forte e tão inesperadamente que com o impulso ela não me aguentou e me fez cair em cima dela no sofá, que graças a Deus estava atrás de nós.
  Começamos a rir da situação, mas Natty ia passar mal de tanto rir. Eu sentia a respiração dela, olhava nos olhos verdadeiros dela e então tive que sorrir.
  Sai de cima dela e ela estava  muito ofegante. Eu até precisei ajudá-la levantar. Ela segurou minha mão até retomar o fôlego, depois passou os braços em volta do meu pescoço.
  - Isso só acontece com a gente. - ela disse sorrindo.
  - Mas eu gosto. - respondi. Natty apertou os olhos e me deu um beijinho. - Vamos?
  Natty sorriu e eu a guiei para fora do apartamento. Entramos no carro e fomos cantando durante o percurso até o restaurante onde eu havia feio a reserva. Tudo estava perfeito, eu e ela um na frente do outro deixando as palavras fluírem pelo ar.
  - Então domingo vamos voltar para a estrada? - Natty perguntou sorrindo quando o assunto acabou.
  - É. - respondi sorrindo de volta. O olhar que ela me deu mostrou um brilho nos olhos, algo realmente diferente. Tive vontade de estar do lado dela literalmente, e foi o que eu fiz. Puxei uma cadeira e fui me sentar ao lado de Natty. Ela, por sua vez, estava tão surpresa como todos os outros a nossa volta.
  Natty abriu a boca para falar alguma coisa mas não disse nada, então coloquei minha mão no seu pescoço e a trouxe para mais perto e a beijei . Queria que ela me respondesse com a  mesma intensidade que comecei o beijo, mas ela não respondia, ao invés disso, tentava me parar, mas eu a ignorava.
  - Nick, - ela dizia entre meus beijos. - olhe as pessoas em volta. - mas eu ignorei de novo.
  - Eu não ligo para elas. - eu disse beijando seu pescoço - Só quero você.
  - Não Nick, para! - ela me empurrou de leve e eu parei. Acho que estava mesmo tão focado nela que esqueci onde estávamos. - Aqui não é um lugar apropriado, certo?
  - Certo. - respondi voltando em mim. - Desculpe-me. - ela sorriu torto para mim. - Mas quer saber? Que se f**a as pessoas nos olhando - Natty arregalou os olhos e me disse surpresa:
  - Você dizendo palavrão?- ela depositou as mãos no colo - Que surpresa!
  - Ah! - eu fiquei envergonhado agora, nem pensei no que tinha falado. - Desculpa de novo - Natty deu um risinho.
  - Tudo bem. Já me acostumei com isso - ela deve ter olhado minha expressão confusa. - Não que eu fale, mas Sean diz isso o tempo todo. - ela ensaiou um sorriso, mas eu não gosta de ficar falando dele.
  Voltamos a conversar sobre vários assuntos.
  Já eram quase onze horas quando paguei a conta e fomos embora. Havia alguns paparazzi na saída, mas não nos importamos pois, de algum modo, eles saberiam que estávamos lá.
 - Não quero ir para casa agora. - Natty disse - Vamos andar um pouco pela cidade. Que tal? - eu sorri e então nós andamos até nossos pés cansarem.
  Viramos em uma avenida pavimentada. Havia várias vitrines com luzes acesas. Carros iam e vinham no rítimo de uma grande cidade. AS mãos de Natty estavam entrelaçadas com as minhas, mas ela não reclamava de frio.  
  - Você está com frio? - perguntei a ela, parando de andar.
  - Não - ela respondeu se soltando e girando em um poste de luz que lembrava os anos de 1930. Quando ela ia completar uma volta, a interrompi dando-lhe um beijo. Natty sorriu ainda com os lábios nos meus, ela também abraçou minha cintura - Minhas mãos estão geladas desde quando nos separamos, mas elas vão se acostumar. - ela sorriu de novo.
  - Acho bom. - sorri também e continuamos a andar pela avenida.
  Natty ia andando algumas vitrines, comentando o que ela via. Eu achava divertido como ela dizia o que combinava, gostava ou usaria com que. Ela sempre me fazia rir com coisas simples e nada forçado. Adorava o jeito que ela sempre me olhava. Eu a amava.
  - Olha que pulseira linda! - ela disse me fazendo sair dos pensamentos. - Parece uma trança prata e esse pingente de coração é perfeito. - percebi que a pulseira era mesmo delicada, muito bonita, de ouro branco.
  - Bonita mesmo. - disse guiando para continuar a andar. - Estou cansado. - disse, pois de fato eu estava.
  - Tudo bem - ela falou sorrindo. - essa sapatilha está machucando meus pés. - foi a unica queixa dela durante a caminhada. Então voltamos ao meu carro.
  Chegamos em frente da casa dela, Natty me chamou para entrar mas eu recusei.
  - Amei essa noite. - ela me disse.
  Tirei o sinto de segurança e dei um beijo bem quente, bem intenso. Coloquei tudo o que sentia nos seus lábios e dessa vez ela me respondeu do jeito que eu queria. Eu a beijava ferozmente e ela me devolvia delicadamente, tudo se encaixava.  Sentia suas mãos quentes espalharem por minhas costas e eu segurava sua cabeça e também as costas fazendo carinho. Natty juntou forças e começou a vir pra cima de mim.
  - Até amanhã. - ela falou provavelmente olhando meu rosto. Meus olhos estavam ainda fechados. Senti sua  mão acariciarem minha bochecha - Meu bebê. - abri meus olhos e ela me deu um beijinho e saiu do carro.


okay, me batem, me xinguem. Esse capitulo tah mto grande, mas eu tava com BC (finalmente acabei o capitulo) e empolguei. Demorou mas chegou - olha... rimou! - Me perdoem a demora tah? Olha, fiz um Tumblr (meu Deus, isso vicia.) quem quiser ver: sofiiis.tumblr.com  tem vários pensamentos, fotos dos Jonas... hehe . Quero agradecer os selinhos, realmente os amei. O que acharam desse capitulo? 5 comentários. BJONAS!!! Adoro vcs!!
Respondendo:
           1. - Capítulo 38:
Cristal Negro: obrigada pelo selo!! Adorei receber e achei muito legal vc gostar da fic. Bjus
Ricele: Tadinho msm! mas as coisas mudaram...| Vc voltou e voltou com tudo. Adr vc ter comentado o post q eu esqueci de postar. vlw. Kkk' minhas férias tem sido assim: pcpcpcpc, xoping, xoping..., =Tédio total. agr é minha ultima semana de ferias e eu num fiz mta coisa de legal. | Okay, parey de fla q o capitulo tah horrivel (por ora ;]). Bjonas!
Sôoh: Brigada. O que achou desse capitulo? Bjonas
Lívia: Vlw pelo Selo!!! q bom q vc ama, comecei ler a sua!! \ee/. Bejins e estrelas. Tbm te amo. ;]
Mah:Seu comentário é sempre necessario! Fico triste msm =(. Vc adivinhou!!! Gosto da serenata?. O guitar hero realmente roubou minha criatividade e é, quero jogar no tapete. (lol). ahushua, foi culpa dele sim! |  Eu vi Charle St. Cloud e é PERFEITO. babei até. lol².kkk é.
Rita: Já divulguei!! Bjz pra vc tbm. =*
          2.- Uma prece
Ricele: fico feliz que vc está bem, (naum né?? derr/parey) nem sei como reagiria se tivesse no lugar de vc e dessas pessoas.Eu me lembro bem de quando aconteceu isso e tbm fikei mto triste. Q bom q vc ajudou. bjus
Cathie: Vc mora no Rio? Q bom q naum aconteceu nd, deve ter sido mto ruim msm. D nd, eu acho q rezar é o minimo que nós podemos fazer. não é? Tudo bem... obr pelo elogio. Bjonas 
Rita: Yeah we are. ahsshuash. LOVE 'n' peace.
          3. - Selo de Qualidade
Ricele: Vlw pelo Selo, já atualizei ele aki... SO THANKS! haha.adr a sua tbm, tando q tah lá. ;]
Pam: D nd linda, sua fic é perfeita! hahaha
Loisi: Brigada linda! Fiko feliz em ouvir isso. bjonas 



7 comentários:

* Sôoh * disse...

adorei!
ta lindo mesmo!
posta logo

* Sôoh * disse...

sofia (aah minha chará aiuhsauihs) eu postei lá no meu blog, se vc puder passar... :)
PS: EU PRECISO QUE VC POSTE LOGO, to anciosa! aishausih

loisi disse...

Ameii
muito lindo
posta posta!
beijuss♥

ღ Ricele ღ disse...

Amei, ialmente a Natty e o Nick
voltaram.

Hey vou te seguir lá no tumblr hihi
vlw pelas dicas de como mudar o fundo da tela esse troço me deixa perdidassa.

vc tava espirada mesmo em enorme e otimo o capitulo posta rapido.

Beijonas

Dudah disse...

oi!!!!sua nova seguidora. posta logo beijos!!!! e ah! visita meu blog e divulga se achar bom http://jumpthefencedudh.blogspot.com/

Clara Lima disse...

oi posso pedir um favor,
http://clairedark.blogspot.com/
me ajuda com a minha nova história?
bjs

Mah disse...

SORRYYYY (SEI Q VC JA POSTO O OUTRO CAP MAS EU Ñ TIVE TEMPO DE FAZE UM COMENTÁRIO SOBRE ESSE)eu li ele mas esqueci de comenta depois
DESCULPA, ta lindo ( como todos os outros)e perfect.BJUSSSS
PS:sorry again